pm

 

"Hoje é o primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa, celebrado de modo muito particular pelos muitos milhões de pessoas em todo o planeta que a esta hora falam, leem, escrevem, cantam e pensam em Português. 

 

Cada língua é um mundo, construído por todos os que diariamente a usam. E a Língua Portuguesa é o nosso mundo, aberto e plural. É falada por mais de 280 milhões de pessoas, em vários continentes e com diferentes entoações. Uma língua que é tão rica quanto mais diversa, uma língua de todos. 

Fruto dos Descobrimentos, foi uma língua que se mestiçou com outras línguas do mundo. Mas é também uma língua para o futuro, servindo de instrumento privilegiado para a globalização dos nossos dias. É a 4.ª língua mais falada no mundo, a mais falada no hemisfério sul, a 5.ª com maior número de utilizadores na internet e a língua oficial ou de trabalho em 32 organizações internacionais. 

E deverá continuar a crescer. Em 2050, espera-se que atinja os 380 milhões de falantes; no final do século, quase 500 milhões.

 

O seu potencial económico é vasto. Assume-se como um fator de competitividade, quer como língua de cultura e de conhecimento, quer como língua de política e de negócios, quer ainda como importante veículo na Internet e nas redes sociais.

 

A dispersão geográfica da lusofonia, a diversidade cultural dos seus povos e a complementaridade das suas economias constituem uma força desse espaço partilhado. 

 

A Língua Portuguesa aproxima a Europa da América, assim como a África da Ásia, servindo de ponte entre diferentes continentes e como espaço privilegiado de diálogo intercultural.

 

Fernando Pessoa afirmou: «a minha Pátria é a Língua Portuguesa». Mais do que isso, a Língua Portuguesa é a pátria de muitas pátrias, porque é em Português que se entendem e cooperam os países que o têm como idioma oficial. Mas o português é mais do que uma língua oficial – é a língua em que cada povo pensa as suas raízes e define o seu rumo futuro.

 

Cada um deles contribui para esse património comum com literaturas e culturas muito ricas e muito diversas.

 

Cada um deles representa essa comunidade que fala a língua de Camões, de José Craveirinha e de Carlos Drummond de Andrade; de Pessoa, de Guimarães Rosa e de Pepetela; de Saramago, de Germano de Almeida, de Jorge Amado ou de Mia Couto.

 

Um problema que muito ocupou os filósofos foi saber se os limites da linguagem eram os limites do nosso próprio mundo. No nosso caso, a existirem, são os limites extensos da língua portuguesa, de alcance global e com capacidade para aproximar muitos milhões de pessoas em todo o planeta – porque na Língua Portuguesa cabe o mundo inteiro. A língua portuguesa é porventura a nossa maior riqueza."

 

Assista ao discurso de Sua Excelência o Primeiro Ministro aqui.

 

Fonte: XXII Governo - República Portuguesa

  • Partilhe